01/10/2017 - 08:02 - Atualizado em 02/10/2017 - 15:14

Movimento ​Outubro Rosa – Previna-se do câncer de mama

A doença pode ser detectada em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço
para avaliação diagnóstica caso identifiquem alterações
persistentes nas mama
s


Cerca de 960 mil novos casos de câncer serão diagnosticados no Brasil em 2017, de acordo com o INCA. Destes, aproximadamente 60 mil novos casos são de câncer de mama. Com o mote “#PacientesNoControle – Atitude Exige Coragem”, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) deu início à décima edição da campanha Outubro Rosa.

Neste ano, o objetivo da ação, em nível nacional, é conscientizar tanto a população quanto os pacientes com câncer sobre a importância da prevenção e dos direitos que garantam o livre acesso ao diagnóstico e ao tratamento. A campanha da Femama foi lançada oficialmente durante o 4º Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer, que ocorreu 26 a 28 de setembro, em São Paulo.

Dentre as ações organizadas pela Femama para o mês de outubro está uma mobilização online solicitando que projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados relativos ao acesso ao diagnóstico e tratamento do câncer tornem-se direitos efetivos para milhares de pacientes oncológicos no país.

Também consta projeto de lei a respeito da inclusão de testes que apontem mutação nos genes BRCA1 e BRCA2 no SUS, capazes de avaliar a predisposição ao câncer de mama em mulheres com alto risco para a doença, permitindo medidas preventivas. Hoje, esses exames estão disponíveis somente na rede privada e o acesso a eles ainda ocorre de forma limitada.

Além da mobilização online, ONGs associadas à Femama em todo o país farão caminhadas em suas cidades para conscientizar e mobilizar para o câncer de mama.


O que aumenta o risco?


O câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatros em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são fatores genéticos e fatores ambientais e comportamentais, como obesidade e sobrepeso após a menopausa; sedentarismo; consumo de bebida alcoólica; exposição frequente a radiações ionizantes (raios-x); fatores da história reprodutiva e hormonal; primeira menstruação antes de 12 anos; não ter tido filhos; primeira gravidez após os 30 anos; não ter amamentado;


Como prevenir

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como: praticar atividade física regularmente; alimentar-se de forma saudável; manter o peso corporal adequado; evitar o consumo de bebidas alcoólicas; amamentar.


Sinais e sintomas

É importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.


Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:


  • caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • alterações no bico do peito (mamilo);
  • pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • saída espontânea de líquido dos mamilos

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica ao identificarem alterações persistentes nas mamas. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Detecção precoce

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres. Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.


A mamografia é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios x chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas. Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com seu médico para avaliação do risco para decidir a conduta a ser adotada.


Como surgiu o Outubro Rosa — O movimento que começou a surgir em 1990 na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York. Entretanto, foi a partir de 1997, também nos Estados Unidos, que se iniciou o movimento Outubro Rosa onde o objetivo era promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção do câncer de mama.

Hoje, a campanha é realizada em vários lugares, entre eles o Brasil. Em muitas cidades, os monumentos mais importantes recebem uma iluminação rosa, em alusão ao laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fotos: Banco de imagens Stock Photos
Fontes:
Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama)
Instituto Nacional de Câncer (Inca)

Tags