08/04/2016 - 15:38 - Atualizado em 19/04/2016 - 11:19

Postal Saúde aprimora liberação de Próteses e Materiais Especiais

Mudança visa garantir sustentabilidade do plano e assegurar melhor atendimento

Para otimizar os processos e reduzir custos operacionais, a partir de 21 de abril, a Postal Saúde vai assumir, integralmente, as atividades de cotação, compra e fornecimento de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME). Parte dessas atividades eram executadas por uma empresa terceirizada, cujo contrato está sendo rescindido.

A Postal Saúde tomou essa decisão após um estudo comparativo, com base em dados de 2015. O estudo permitiu comprovar que é possível realizar, com recursos próprios, a totalidade das atividades de cotação e compra de OPME, gerando melhores resultados para operadora e para o beneficiário, contribuindo, assim, para sustentabilidade do plano.

Por conta da mudança no processo, a Postal Saúde irá economizar, de imediato, aproximadamente R$ 233 mil mensais, o que representa quase R$ 3 milhões em um ano. A mudança faz parte das ações implementadas pela diretoria da Postal Saúde, que visam garantir a melhor governança da operadora, além de buscar mais qualidade no atendimento oferecido aos beneficiários.

Para 2016, após a implantação e consolidação das atividades, a expectativa é de se conseguir uma redução de preços, que resultará em uma economia de mais de R$ 5 milhões mensais sobre os valores a serem pagos na compra de OPME. Isso significa que, além da redução das despesas operacionais relativas à manutenção da estrutura da área, para execução das atividades de cotação, compra e fornecimento, a previsão é que a Postal Saúde consiga uma economia mensal de cerca de R$ 680 mil em relação aos valores de 2015 na compra de OPME.