05/09/2017 - 15:56 - Atualizado em 06/09/2017 - 09:47

​Ser otimista faz bem para a saúde

Pesquisas revelam que cultivar pensamentos positivos pode reduzir o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC)

Não é novidade para ninguém que o pensamento positivo é um dos fatores responsáveis pela saúde e pelo bem-estar de quem os cultiva. Quem adota uma atitude positiva tem mais qualidade de vida, sente-se mais feliz e, de quebra, contagia as pessoas ao seu redor.

É claro que, como tudo na vida, até mesmo a dosagem do otimismo deve ser equilibrada. Às vezes, nos protegemos sob a capa do otimismo para “empurrar” para debaixo do tapete aquelas mudanças que pretendemos e devemos implementar em nossas vidas.

Por exemplo, um casal ou quaisquer outras pessoas com problemas no relacionamento e que fingem que tudo vai bem, preferindo não enfrentar aquela situação desconfortável (afinal, são otimistas e não querem ver o lado negativo da situação), precisam saber distinguir bem entre otimismo e fuga da realidade.

Reproduzimos abaixo, parcialmente, conteúdos publicados nas edições 141 e 146 da revista Viva Saúde sobre as vantagens de ser otimista:


O otimismo regula as emoções, reduz as chances de depressão
e aumenta a longevidade


Diversas pesquisas relatam os efeitos da positividade, especialmente na saúde do coração. Ao cultivar o otimismo, há diminuição do risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC). Pacientes que já sofreram um ataque cardíaco e adotam hábitos positivos têm chance de viver 15 anos a mais do que os pessimistas. O mais recente estudo sobre otimismo e seus efeitos cardíacos foi realizado pela Universidade de Illionois (EUA).

Segundo a pesquisa, que acompanhou 6 mil pessoas, durante 11 anos, os otimistas têm duas vezes mais chances de terem uma boa saúde do coração, comparados aos pessimistas. Em 2013, um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) descobriu que os otimistas com meia-idade têm maiores níveis de colesterol bom e baixas taxas de triglicérides. Mas as pesquisas não param por aí.

Enxergar o copo meio cheio aumenta a imunidade, regula as emoções, reduzindo as chances de desenvolver depressão e proporciona uma vida mais longa. “Quando analisamos 243 pessoas que viveram mais de cem anos, encontramos qualidades que refletem claramente uma atitude positiva perante a vida”, aponta Nir Barzilai, diretor do Instituto de Pesquisa do Envelhecimento da Universidade de Yeshiva(EUA). Assim, o melhor é mudar os valores. De hoje em diante, para todos os efeitos, o copo deve estar sempre cheio, transbordando!

Saiba como praticar o otimismo

  • Procure pensar nas coisas que lhe fazem bem. Um bom livro, um filme ou uma música podem relaxar e abastecer a mente com ideias produtivas.
  • Busque estar próximo de pessoas que incentivam seu crescimento pessoal e profissional. As relações afetam quem você se torna.
  • Invista em coisas que você gosta e tem habilidades para fazer. Isso aumentará sua autoestima.
  • Pratique exercício: o bem-estar físico está inteiramente ligado ao mental. O indivíduo saudável tende a compreender o mundo de uma maneira mais integral, com aspectos positivos e negativos, sem se sobrepor a apenas um dos lados.
  • Não se deixe abater por algum desafio ou problema, busque opiniões e ideias para que possa superar e solucionar a questão.
  • Pense positivo: mensagens “do bem” levam o cérebro a ser tolerante às frustrações. A vida tem momentos difíceis, mas é possível encontrar o lado positivo de situações inesperadas. Nas crianças, trabalhe desde cedo a positividade. Experiências internas estão ligadas à maior autoestima e à postura otimista.
  • Caso se sinta descontente com sua vida e incapaz de superar sozinho, busque apoio de um psicólogo. Invista em seu autoconhecimento, isso te ajudará a viver melhor e mais feliz.

Por: Comunicação/Postal Saúde

Fontes: Revista Viva Saúde - Edições 141 e 146

Foto: Visual Hunt - Banco de imagens gratuito