02/09/2019 - 11:00 - Atualizado em 02/09/2019 - 16:57

​Setembro amarelo: Como ajudar alguém que pensa em cometer suicídio?

Ficar atento aos sinais de alerta e oferecer apoio adequado pode evitar muitas mortes

O 10 de setembro foi escolhida para marcar o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Segundo a Organização Pan-americana da Saúde, a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no mundo. São 800 mil suicídios por ano, dos quais 65 mil acontecem na região das Américas.

No Brasil, 32 indivíduos se suicidam diariamente. Nove em cada dez mortes poderiam ser evitadas. Além disso, os especialistas estimam que o total de tentativas de tirar a própria vida é cerca de 10 vezes superior ao ato propriamente dito.

Na folha Informativa da Opas Brasil, divulgada em agosto de 2018, consta que em 2016 o suicídio foi a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo.

É uma questão séria de saúde pública cuja causa todos devem abraçar. Nove em cada dez mortes poderiam ser evitadas. Com base nessa realidade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para a importância da prevenção, garantindo ajuda e atenção adequadas.

Mas como dar a devida atenção à pessoa que está em sofrimento? Saiba mais sobre o assunto lendo a matéria e assistindo ao vídeo preparado pelo Ministério da Saúde:


O indivíduo em sofrimento pode dar certos sinais, que devem chamar a atenção de seus familiares e amigos próximos, sobretudo se muitos desses sinais se manifestam ao mesmo tempo.

  • Isolamento;
  • Mudanças marcantes de hábitos;Aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas;
  • Desinteresse por atividades de que gostava;
  • Descuido com aparência;
  • Piora do desempenho na escola ou no trabalho;
  • Alterações no sono e no apetite;
  • Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança;

(As pessoas sob risco de suicídio costumam falar sobre morte e suicídio mais do que o comum, confessam se sentir sem esperanças, culpadas, com falta de autoestima e têm visão negativa de sua vida e futuro. Essas ideias podem estar expressas de forma escrita, verbal ou por meio de desenhos).

  • Expressão de ideias ou de intenções suicidas.


Fiquem atentos para os comentários, muitas vezes ignorados:

  • Vou desaparecer/ Vou deixar vocês em paz/ Eu queria poder dormir e nunca mais acordar/ É inútil tentar fazer algo para mudar, eu só quero me matar.

Essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças nem como chantagens emocionais, mas sim como avisos de alerta para um risco real.

Mas atenção: Os sinais de alerta não devem ser considerados isoladamente. Não há uma “receita” para detectar seguramente quando uma pessoa está vivenciando uma crise suicida, nem se tem algum tipo de tendência suicida

Diante de uma pessoa sob risco de suicídio, o que se deve fazer?

  • Encontre um momento apropriado e um lugar calmo para falar sobre suicídio com essa pessoa. Deixe-a saber que você está lá para ouvir, ouça-a com a mente aberta e ofereça seu apoio.

  • Incentive a pessoa a procurar ajuda de profissionais de serviços de saúde, de saúde mental, de emergência ou apoio em algum serviço público. Ofereça-se para acompanhá-la a um atendimento.

  • Se você acha que essa pessoa está em perigo imediato, não a deixe sozinha. Procure ajuda de profissionais de serviços de saúde, de emergência e entre em contato com alguém de confiança, indicado pela própria pessoa

  • Se a pessoa com quem você está preocupado(a) vive com você, assegure-se de que ele(a) não tenha acesso a meios para provocar a própria morte (por exemplo, pesticidas, armas de fogo ou medicamentos) em casa.
  • Fique em contato para acompanhar como a pessoa está passando e o que está fazendo.

Onde buscar ajuda para prevenir o suicídio?

1. CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

2. UPA 24H, SAMU 192, Pronto Socorro; Hospitais

3. Centro de Valorização da Vida - 188 (ligação gratuita)

A ligação para o CVV tem parceria com o SUS. É gratuita e pode ser feita a partir de qualquer linha telefônica (fixa ou celular).

Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.

A Campanha

O 10 de Setembro como Dia Mundial de Prevenção do Suicídio foi criado em 2003, pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela Organização Mundial de Saúde, com o objetivo de prevenir o suicídio, por meio de ações estratégicas por parte de governos e da sociedade.

No Brasil, a campanha Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), em parceria com o CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), com a proposta de associar a cor amarela ao mês que marca o Dia Mundial.

O amarelo é a cor da luz, da vida e por isso foi escolhida para marcar as ações durante todo o mês. A ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções, garantindo mais visibilidade à causa.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fontes: OPAS/Ministério da Saúde/CVV
Imagem: Campanha Setembro Amarelo