28/05/2017 - 09:01 - Atualizado em 05/06/2017 - 11:10

Usuários do Postal 24h aprovam atendimento

Empregados dos Correios que acionaram o serviço de saúde por meio do aplicativo, baixado no celular, afirmam que o serviço é seguro, prático e vantajoso para os beneficiários. O projeto-piloto, em funcionamento nessa primeira etapa apenas no Distrito Federal, foi lançado dia 30 de março, em Brasília

Quando dona Maria Divina, de 84 anos, apresentou sintomas de gripe e dificuldades de respirar, o filho Edvaldo Pereira da Silva (foto abaixo), empregado dos Correios, em Brasília, ficou preocupado. Foi quando ele lembrou do serviço Postal 24h, lançado pela Operadora em 30 de março, durante solenidade no edifício-sede dos Correios, na capital federal.


Edvaldo: "Com a Postal 24h todos saem ganhando:
os empregados, os Correios e a Operadora de saúde"


A inquietação de Edvaldo não foi sem motivos. Desde 2012, sua mãe — que é beneficiária do plano Correios Saúde, como dependente do filho — se submete a tratamento quimioterápico para combater um câncer de mama. O histórico delicado de saúde de dona Maria Divina, associado à idade avançada, exige cuidados especiais. Por isso, qualquer sintoma que fuja da normalidade chama a atenção de Edvaldo, que já tinha baixado o aplicativo do Postal 24h no celular. Nessa primeira etapa, o projeto-piloto está funcionando apenas no Distrito Federal.

“Liguei para o serviço e achei ótimo! Fui muito bem atendido e recebi todas as orientações da enfermeira”, avalia o técnico-administrativo, lotado no Setor de Administração (SEAO) do Centro de Tratamento de Encomendas (CTE), na capital federal. Sem esconder o entusiasmado com o Postal 24h, ele conta que a videochamada durou cerca de meia hora e que a enfermeira fez várias perguntas sobre o estado de saúde da mãe, o tratamento que ela fazia, os remédios que tomava e o que estava sentindo naquele momento.

“Quando eu disse que ela pegou uma gripe forte, a profissional me orientou para não ministrar nenhum medicamento sem a prescrição médica, pediu para eu dar bastante água à minha mãe e me ensinou a colocá-la em uma posição que facilitasse a respiração quando estivesse deitada, entre outras orientações”, conta Edvaldo, que é filho único.

Dona Maria Divina mora sozinha, em Taguatinga (cidade-satélite a cerca de 50 km de Brasília), e depende dos cuidados do filho para tudo. “Eu vou lá todos os dias. Levo a comida, deixo os medicamentos separados e vejo o que ela está precisando”. Quando perguntando se a carga é pesada para um filho único, ele tem a resposta na ponta da língua. “Com amor, tudo se torna leve”.

Vantagens — Para Edvaldo, contar com o Postal 24 horas lhe dá mais tranquilidade e segurança. “O serviço nos coloca em contato com profissionais da saúde e evita a gente ir correndo para a emergência do hospital sem necessidade”. Ele lembra que, além das funções de videochamada e de ligação de voz pelo aplicativo no celular, o atendimento também pode ser feito pelo telefone 0800 881 1020. Na sua opinião, todos saem ganhando com o serviço.

“A empresa (os Correios) ganha porque o empregado não precisa se ausentar; o empregado porque deixa de gastar com o compartilhamento das despesas de saúde, e o plano de saúde porque tem menos gastos”, sintetiza o empregado dos Correios.


Edson: "Eu me senti muito seguro com as orientações da profissional de saúde"


Edvaldo gostou tanto do atendimento do Postal 24 horas que indicou o serviço para todos os colegas da sua seção. Um deles foi o auxiliar administrativo Edson de Queiroz Gomes, 52 anos. Por coincidência, Edson também utilizou o aplicativo no celular para solicitar uma informação para a mãe, Maria Braz de Queiroz, de 81 anos, sua dependente no plano de saúde.

Recentemente, ela passou a fazer um tratamento de oxigenoterapia, usado para tratar doenças do pulmão e do coração. “Liguei para o Postal 24 h porque queria saber se podíamos trocar o balão de oxigênio grande pelo pequeno quando minha mãe precisasse sair de casa”, explica Edson. Dona Maria Braz precisa ficar 16 horas por dia com o balão de oxigênio.

“Conversei por cerca de meia hora com a enfermeira, por videochamada, que me orientou a nos programar para que as saídas da minha mãe coincidissem com as oito horas que ela deveria ficar sem o aparelho. Assim fica mais confortável para ela”, relata Edson.

“Também aproveitei para perguntar se podia colocar uma extensão de mangueira no aparelho do oxigênio. A enfermeira disse que sim, que era bom para facilitar os deslocamentos. Eu me senti muito seguro com as orientações da profissional de saúde”.

Exterior — Edvaldo e Edson lembram que uma das vantagens do serviço é que o aplicativo Postal 24 h pode ser acessado, via internet, também no exterior. “Se o empregado está viajando e precisa de uma orientação de saúde, pode recorrer ao aplicativo”, assinala Edvaldo. “É ‘uma boa’ poder contar com esse serviço até fora do Brasil”, endossa Edson.

Para a analista da Central de Compras (Cecom) dos Correios em Brasília, Luana Soares, 31, ao acionar o Postal 24 horas é como se a pessoa estivesse na triagem de um hospital. “Ao ligar para o Postal 24 h, a equipe detecta se você precisa ou não de ir para a emergência ou urgência do hospital”, destaca.

Há cerca de duas semanas, ela estava em sua mesa de trabalho, em frente ao computador, quando começou a sentir umas luzes piscando no olho. “Esses sintomas começaram a me incomodar muito e fiquei preocupada, pois não conseguia enxergar direito. Acionei o aplicativo no meu celular e fui muito bem atendida e orientada”, aprova Luana.


Luana: "Achei muito bom não precisar ir ao hospital"


Compressas — Luana relata que a enfermeira fez várias perguntas (se tomava algum medicamento, se fazia algum tratamento, entre outras) e pediu para ela tirar e colocar os óculos. No final do atendimento, foi orientada a aplicar compressas frias sobre os olhos e a marcar consulta com o oftalmologista, de caráter eletivo, sem urgência.

"Quando coloquei as compressas, as luzes pararam de piscar e voltei a enxergar normalmente. E a consulta com o oftalmologista já está marcada”, conta Luana, para acrescentar: “Achei muito bom não precisar ir ao hospital, pois da última vez que fui à emergência da oftalmologia acabei pegando uma conjuntivite”, relembra.

A analista dos Correios concorda com os colegas Edson e Edvaldo. “O Postal 24 h é bom para nós, empregados, que economizamos com o compartilhamento das despesas de saúde; para os Correios e para o plano de saúde, que reduzem os custos”.

Leia também:

Entrevista com a médica Renata Zobaran – “Utilizem o Postal 24h sempre que necessário”

Postal Saúde apresenta aplicativo Postal 24h aos empregados da Administração Central dos Correios

Se não conseguir acessar o aplicativo ligue: 0800 881 1020


Por: Comunicação Postal Saúde

Fotos: Arquivo Postal Saúde