Central do beneficiário

​Leia a coletânea da série “Conheça seu plano - CorreiosSaúde II”

Postado por Arlinda Carvalho em 16 Nov 2018 17:21



Com o objetivo de tirar dúvidas dos beneficiários sobre as principais regras do plano CorreiosSaúde II, a Postal Saúde deu início, em setembro deste ano, à série de matérias “Conheça seu plano”.

Ao todo, foram publicados no site da Operadora 10 textos abordando, com linguagem simples e de forma didática, as principais normas do Regulamento do CorreiosSaúde II, bem como informações sobre os canais de comunicação com a Postal Saúde.

Clique nos links abaixo para ler todas as matérias da série:

Saiba porque é importante atualizar seus dados cadastrais

Conheça seu plano: Saiba em que condições pode ocorrer o Tratamento Fora Domicilio (TFD)

Conheça seu plano – Prazos para atendimento de serviços de saúde são regulamentados pela ANS

Conheça seu plano: Atendimento odontológico

Conheça seu plano: Postal Saúde divulga cartilha sobre Reembolso

Conheça seu plano: Canais de atendimento da Postal Saúde

Conheça seu plano: Como calcular sua mensalidade

Conheça seu plano: Inclusão e Carências do plano CorreiosSaúde II

Conheça seu plano: Internações não têm coparticipação no CorreiosSaúde II

Conheça o seu plano: A Postal Saúde está de braços abertos para acolher o beneficiário!


Por: Comunicação/Postal Saúde

​Postal Saúde lança Programa Saúde Bucal em Belo Horizonte (MG)

Postado por Arlinda Carvalho em 13 Nov 2018 18:12


A gerente de Programas de Saúde, Ana Flávia Boni, conscientizou
os beneficiários sobre a importância da saúde bucal
e das visitas regulares ao dentista

A Postal Saúde lançou nesta terça-feira (13), em Belo Horizonte (MG), o Programa Saúde Bucal, com foco na prevenção de doenças bucais e na qualidade de vida dos seus beneficiários. A cerimônia de lançamento ocorreu às 14h, no auditório Topázio Imperial da Coordenação da Universidade dos Correios (Couni), com participação de beneficiários e representantes da Postal Saúde e dos Correios.

O Programa Saúde Bucal faz parte das ações de saúde desenvolvidas pela Operadora, a exemplo dos programas Saúde em Dia e Saúde da Mulher , para atender às necessidades de públicos distintos.

O atendimento odontológico por meio do Programa Saúde Bucal é feito nos ambulatórios da Postal Saúde, instalados, em sua maioria, nas unidades dos Correios. Ao todo, são 11 ambulatórios distribuídos em oito estados brasileiros: Minas Gerais, São Paulo (com três ambulatórios em Santo Amaro, Vila Maria e Jaguaré), Santa Catarina, Paraíba, Piauí, Alagoas, Ceará e Rio Grande do Sul.

O conselheiro fiscal da Operadora, Sérgio Luiz Guimarães (foto acima, com o microfone), enfatizou a “gestão técnica, comprometida e de qualidade da Postal Saúde ao desenvolver ações que visam promover a saúde e a qualidade de vida dos beneficiários". “Esses programas são importantes para todos nós”, disse.


O superintendente estadual dos Correios em Minas Gerais, Juarez Pinheiro (foto ao lado), também frisou a importância dos programas de saúde e disse que a parceria com a Operadora demonstra o cuidado com os beneficiários.


Foco do Programa

O Programa Saúde Bucal tem por objetivo prevenir doenças bucais que vão de uma simples cárie a problemas mais graves, como o câncer de boca.

Durante a apresentação do programa, a gerente de Programas de Saúde da Operadora, Ana Flávia Boni (primeira foto acima), falou sobre a importância das visitas regulares ao dentista. Ela lembrou que, além da cárie, as doenças bucais mais comuns são as periodontais (que atacam as gengivas), erosão dentária, xerostomia (boca seca), halitose (mau hálito), sangramentos, câncer bucal, entre outras.

Público Alvo

Podem participar do Programa Saúde Bucal todos os beneficiários titulares e dependentes inscritos e ativos nos planos de saúde da Operadora, com idade igual ou superior a 18 anos, que não tenham realizado profilaxia nos últimos seis meses na Rede Credenciada.

Vantagens

Além de prevenir doenças e garantir um sorriso bonito e saudável, o Programa Saúde Bucal traz inúmeras outras vantagens, como: gratuidade do atendimento, pois não incide a coparticipação nos atendimentos realizados no ambulatório; localização dos ambulatórios perto do local de trabalho; acompanhamento permanente e periódico da saúde bucal.

Vale lembrar que as despesas com materiais e medicamente que não estão previstos no protocolo do programa terão a coparticipação do beneficiário. Além disso, em caso de procedimentos e exames não realizados nos ambulatórios, os beneficiários serão encaminhados para a Rede Credenciada. Nesse caso, haverá coparticipação das despesas.

Serviço

Ambulatório da Postal Saúde em Belo Horizonte (MG):

Endereço: Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo, 20901 - Universitário, Belo Horizonte, Minas Gerais.

Telefone: (31) 3490-6134

Leia também:

Prevenção do câncer de boca começa pelo dentista


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fotos: Comunicação/Postal Saúde


Ministério da Saúde lança campanha de combate ao Aedes aegypti

Postado por Arlinda Carvalho em 13 Nov 2018 15:07


O Ministério da Saúde lança nesta terça-feira (13) campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegypti. O objetivo é mobilizar toda a população sobre a importância de intensificar, neste período que antecede o verão, as ações de prevenção contra o mosquito, que transmite dengue, zika e chikungunya. Com o slogan "O perigo é para todos. O combate também. Faça sua parte. Com ações simples podemos combater o mosquito", a campanha ressalta que a união de todos, governo e população, é a melhor forma de derrotar o mosquito, e que a vigilância deve ser constante.


Dados nacionais apontam redução nas três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, entre janeiro a outubro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017, porém, alguns estados apresentam aumento expressivo de casos de dengue, Zika ou chikungunya. Por isso, é necessário intensificar agora as ações de eliminação do foco do mosquito para evitar surtos e epidemias das três doenças no verão.

Período das chuvas

Os meses de novembro a maio são considerados o período epidêmico para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, porque o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito. “É o momento em que todos - União, estado e municípios, e a população em geral - devem ter maior atenção e intensificar os esforços para não deixar a larva do mosquito nascer. No caso da população, além dos cuidados, como não deixar água parada nos vasos de plantas, é possível verificar melhor as residências, apoiando o trabalho dos agentes de endemias”, explica o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Divino Martins.

Tutoriais nas redes sociais

De acordo com o coordenador, os agentes de endemias utilizam três técnicas simples, que levam cerca de 10 minutos, para vistoriar casas, apartamentos e espaços abertos. “Os agentes de endemias estão nas ruas vistoriando todos os espaços em todo o país. Contudo, a população pode se empoderar também dessas técnicas e se antecipar à visita dos agentes. Durante os meses que antecedem o verão e ao longo de 2019, o Ministério da Saúde vai fazer o alerta contra o mosquito e ensinar, por meio de vídeos tutoriais nas redes sociais, entre outros meios, como são essas técnicas. Além dos 60 mil agentes de endemia, a pasta quer contar com os mais de 200 milhões de brasileiros para serem multiplicadores dessas ações”, destaca o coordenador Divino Martins.


Semana de Mobilização

Além do lançamento da campanha, está prevista ainda, para o final de novembro, a Semana de Mobilização Integrada para o Combate ao Aedes aegypti. No total, 210 mil unidades públicas e privadas de todo o país estão sendo mobilizadas, sendo 146 mil escolas da rede básica, 11 mil centros de assistência social e 53 mil unidades de saúde. A Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) orientou estados e municípios a realizarem atividades para instruir as comunidades sobre a importância da prevenção e combate ao mosquito. Também está prevista a mobilização da população em geral, por meio do slogan ‘Sábado sem mosquito. Com ações simples, podemos combater o Aedes aegypti’. Os órgãos públicos também farão vistorias em seus prédios.

Levantamento

Outra medida importante para este mês será a divulgação do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), ferramenta utilizada para identificar os locais com focos do mosquito nos municípios. O LIRAa é um instrumento fundamental para o controle do mosquito. Com base nas informações coletadas, os gestores podem identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas.

Apoio aos municípios

Durante todo o ano, o Ministério da Saúde realiza ações permanentes de vigilância, prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, com apoio da Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) e das Salas Estaduais. As videoconferências com as 27 salas estaduais ocorrem mensalmente e, durante o período epidêmico, são realizadas quinzenalmente. O Ministério da Saúde também oferece, continuamente, aos estados e municípios apoio técnico e fornecimento de insumos, como larvicidas para o combate ao vetor, além de veículos para realizar os fumacês, e testes diagnósticos, sempre que solicitado pelos gestores locais

Para estas ações, a pasta tem garantido orçamento crescente aos estados e municípios. Os recursos para as ações de Vigilância em Saúde, incluindo o combate ao Aedes aegypti, cresceram nos últimos anos, passando de R$ 924,1 milhões, em 2010, para R$ 1,93 bilhão em 2017. Este recurso é destinado à vigilância das doenças transmissíveis, entre elas dengue, zika e chikungunya e é repassado mensalmente a estados e municípios. Além disso, desde novembro de 2015, foram destinados cerca de R$ 465 milhões para pesquisas e desenvolvimento de vacinas e novas tecnologias. Neste ano, o orçamento destinado para as ações de vigilância em saúde é de R$ 1,9 bilhão.

Dados epidemiológicos

Dengue – Até 27 de outubro, foram notificados 220.921 casos de dengue em todo o país, uma pequena redução em relação ao mesmo período de 2017 (223.171). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 106,4 casos/100 mil habitantes. Com relação ao número de óbitos, a queda é de 22,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de 167 mortes em 2017 para 130 neste ano. No total, 12 estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destacam-se Goiás, Rio Grande do Norte e Acre, que registram as maiores incidências, com 1.025 casos/100 mil habitantes em Goiás; 624,4 casos/100 mil habitantes no Rio Grande do Norte e 420,8 casos/100 mil habitantes no Acre. As informações completas estão no Boletim Epidemiológico – Semana 43.

Chikungunya – Até 27 de outubro, foram registrados 80.940 casos de febre chikungunya, o que representa uma taxa de incidência de 39,0 casos/100 mil habitantes. A redução é de 55,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 182.587 casos. A taxa de incidência no mesmo período de 2017 foi de 87,9 casos/100 mil/hab. Neste ano, foram confirmados laboratorialmente 34 óbitos. No mesmo período do ano passado, foram 189 mortes confirmadas. No total, sete estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destacam-se Mato Grosso e Rio de Janeiro, que registram as maiores incidências, com 394,5/100 mil habitantes no MS e 210,8 casos/100 mil habitantes no RJ.

Zika – Foram registrados 7.544 casos prováveis de zika em todo país, até 27 de outubro, uma redução de 54,6% em relação a 2017 (176.616). A taxa de incidência passou de 8,0 em 2017 para 3,6 neste ano. No total, sete estados apresentam aumento de casos em relação ao mesmo período de 2017. Entre eles, destaca-se o Rio Grande do Norte, com 14,9 casos/100 mil habitantes.


Fonte: Ministério da Saúde
Imagem: Ministério da Saúde e Stock Photos




Comunicado aos beneficiários – Mudanças no modelo de PBM

Postado por Caio Melo em 12 Nov 2018 12:06

A Postal Saúde informa aos seus beneficiários que alterou alguns processos internos no seu modelo de processamento do Plano Benefício Medicamento (PBM). O processo foi automatizado, diminuindo a intervenção humana e dando menor propensão ao erro, mas não afeta o modo de envio da documentação pelo beneficiário.

No entanto, a implantação do novo sistema ocasionou atraso em alguns pagamentos. A Postal Saúde pede desculpas pelos transtornos ocasionados para esses beneficiários. A previsão é de que a situação esteja normalizada até o dia 19 de novembro.

A Postal Saúde se coloca à disposição para esclarecer quaisquer outras dúvidas por meio de nossa Central de Atendimento ao Beneficiário (0800 888 8116) e está trabalhando para que imprevistos desta natureza não ocorram mais.

Estamos ajustando outras funções no processo e em breve comunicaremos novas melhorias.

Programa Saúde da Mulher chega a Bauru (SP)

Postado por Caio Melo em 08 Nov 2018 19:29


Ariovaldo Câmara: "O foco dos programas de saúde é prevenir
e combater a doença antes mesmo que ela se instale no organismo"

As beneficiárias da Postal Saúde já podem comemorar. A Operadora lançou nesta quinta-feira (8/11) o Programa Saúde da Mulher na cidade de Bauru, em São Paulo. Agora, essa é a terceira localidade a receber o programa, que já funciona com êxito em Brasília/DF e Florianópolis/SC. O programa será estendido gradativamente para os outros estados.

A cerimônia de lançamento teve início às 10h, no auditório da Superintendência Estadual dos Correios em São Paulo Interior, localizada no centro de Bauru, com a presença de gestores e empregados da Postal Saúde e dos Correios.

O presidente da Postal Saúde, Ariovaldo Câmara, destacou a importância dos programas de saúde desenvolvidos pela Operadora com foco na prevenção e no diagnóstico precoce. Segundo ele, esta é a forma mais eficiente para combater a doença e trazer os beneficiários para perto de suas famílias, trocando o hospital pelo aconchego do lar. “O foco dos programas de saúde é evitar que a enfermidade apareça e se instale no organismo”, afirmou Ariovaldo.

Ele lembrou também que a atual gestão da Postal Saúde vem trabalhando não só para reduzir as despesas, mas também para investir na qualidade de vida de cada beneficiário. A apresentação do "Saúde da Mulher" foi conduzida pela gerente de Programas de Saúde da Operadora, Ana Flávia Boni.

O presidente agradeceu a parceria com os Correios e o apoio da Superintendência Estadual, e fez um apelo aos beneficiários: “Deixem que a Postal Saúde cuide de suas vidas, evitando o surgimento de doenças por meio da prevenção”.

Por sua vez, o representante da Superintendência Estadual, Sérgio de Souza, ressaltou a importância da parceria com a Postal Saúde e da compreensão dos gestores dos Correios com relação à liberação dos empregados para realizar os exames, não apenas para o Programa Saúde da Mulher, como para as demais ações que estão por vir.


Sérgio de Souza, dos Correios, enfatizou que todos devem
contribuir para o sucesso dos programas de saúde


Depoimento emocionante

No final da cerimônia, a empregada Joseane Targa pediu a palavra para um depoimento emocionado. “Consegui me curar de um câncer de mama que descobri após fazer um exame de rotina”. Segundo ela, a Postal Saúde está de parabéns por proporcionar às mulheres a oportunidade de cuidar da saúde de forma preventiva.

Joseane (foto ao lado) contou sua história e emocionou os presentes

Como o programa funciona

Em Bauru, a instituição parceira do Programa Saúde da Mulher é a Clínica CDA Medicina Diagnóstica, localizada no seguinte endereço: Rua Antônio Alves, 17-38/17- 58 – Centro- Bauru-SP. O CDA atende pelo telefone (14) 3102-1300.

Exames e acompanhamentos

Durante a primeira consulta, o ginecologista faz a avaliação e, de acordo com a idade, verifica quais exames devem ser solicitados, com foco na detecção precoce do câncer de mama, do colo do útero e infecções sexualmente transmissíveis.

Vale lembrar que as consultas e os exames que constam no protocolo do Programa Saúde da Mulher são totalmente gratuitos, ou seja, sem coparticipação das despesas médicas. São eles: consulta ginecológica, mamografia, Papanicolau e exames para detecção da hepatite B, hepatite C, HIV e sífilis.

Público alvo

Todas as mulheres acima de 18 anos;

Mulheres na faixa etária de 25 a 59 para o exame citopatológico;

Mulheres na faixa etária de 50 a 69 para o exame de mamografia;

Mulheres acima de 70 anos para consulta de acompanhamento.

Perfil por idade das beneficiárias da Postal Saúde em Bauru (SP)

28% têm entre 50 e 64 anos;

22% têm entre 18 e 39 anos

16% têm entre 0 e 17 anos;

14% têm entre 40 e 49 anos;

13% têm 70 anos ou mais;

5% têm entre 65 e 69 anos.


Sobre o programa

Lançado em março deste ano como projeto-piloto em Brasília, no Distrito Federal, o programa faz parte das ações de cuidado com a saúde, desenvolvidas pela Operadora, com o objetivo de promover o bem-estar e a qualidade de vida de seus beneficiários.

As ações do Programa Saúde da Mulher incluem consulta com o ginecologista, realização de exames preventivos e encaminhamento para tratamento de doenças detectadas durante a consulta.
As informações sobre o Programa Saúde da Mulher estão disponíveis no site da Operadora.


Leia também:

Programa Saúde da Mulher chega a Florianópolis (SC)

Postal Saúde faz apresentação sobre Programa Saúde da Mulher na sede dos Correios, em Brasília

Indique o Programa Saúde da Mulher para outra colega

Outubro Rosa: Programa Saúde da Mulher contribui para prevenir, diagnosticar e tratar o câncer de mama

Programa Saúde da Mulher é bem avaliado por beneficiárias


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fotos: Comunicação/Postal Saúde

​Conheça seu plano: Saiba por que é importante atualizar seus dados cadastrais

Postado por Arlinda Carvalho em 08 Nov 2018 18:51



Se você é beneficiário do plano de saúde e mudou de endereço, trocou o número do telefone ou e-mail – ou registrou qualquer outra alteração nos seus dados pessoais –, comunique à Postal Saúde para que as equipes responsáveis pelo Cadastro possam atualizar essas informações e inseri-las no sistema.

Os dados pessoais são uma espécie de “DNA” do beneficiário e permitem que a Postal Saúde, além de manter em dia a comunicação com seus beneficiários, cumpra as exigências dos órgãos reguladores com relação aos serviços prestados pela Operadora.

A atualização cadastral é, portanto, imprescindível para que a Postal Saúde possa informar tempestivamente os beneficiários sobre possíveis mudanças ou novidades no plano de saúde, contribuindo para a qualidade e a eficiência da comunicação.


Regulamento

O Capítulo 7 do Regulamento do Plano CorreiosSaúde II também trata da “Atualização Cadastral dos Beneficiários Titulares e Dependentes”. Com o cadastro atualizado, o beneficiário poderá receber em seu endereço comunicados e informações importantes sobre o plano de saúde; ser convidado, se elegível, para participar dos programas de saúde e de qualidade de vida desenvolvidos pela Operadora; entre outros benefícios.


Para se ter uma ideia da importância do assunto, um dos desafios das operadoras de planos de saúde em geral, e da Postal Saúde, em particular, é a comunicação com aqueles beneficiários que não mantém os dados atualizados.


Uma situação comum é a dificuldade de localizar os aposentados desligados dos Correios para mantê-los informados sobre as mudanças e novidades relacionadas ao plano de saúde.


Dados pessoais obrigatórios


Os dados pessoais obrigatórios que devem estar sempre atualizados na ficha cadastral do beneficiário são: CPF, CNS (Cartão Nacional de Saúde-SUS), endereço residencial, telefones de contato e e-mail. Nos casos de dependentes menores de idade, é importante informar o número do CPF, dado obrigatório perante o órgão regulador.


Como atualizar seus dados


A atualização cadastral pode ser realizada nos seguintes canais:


  • Unidade de Representação Regional da Postal Saúde, mais próxima de sua localidade;
  • Central de Atendimento ao Beneficiário – 0800 888 8116 (para atualização de endereço, telefone e e-mail);
  • Caixa Postal 9555 - CEP 70.040-976, Brasília-DF, para envio à Postal Saúde da documentação comprobatória e do Formulário de Cadastro/Atualização Cadastral.

Oportunamente, a atualização cadastral poderá ser feita também no site da Operadora.



Vantagens para o beneficiário em manter os dados atualizados

  • Recebimento de informações sobre os acontecimentos ou as mudanças que ocorrem no plano de saúde;
  • Acompanhamento sobre as solicitações ou os procedimentos que aguardam autorização da Operadora;
  • Tranquilidade com relação ao atendimento pelo plano de saúde, uma vez que o benefício pode ser suspenso por falta de atualização dos dados pessoais obrigatórios, conforme descrito no regulamento do plano;
  • Cobrança adequada do valor do custeio, pois no caso dos beneficiários aposentados são utilizados os valores dos benefícios INSS e Postalis (quando houver), para o cálculo da coparticipação. A atualização desses valores permite que não ocorra nenhuma cobrança indevida no valor da coparticipação;
  • Aproximação mais estreita com a Postal Saúde.

Agora que você já sabe da importância da atualização cadastral para facilitar a a comunicação com sua Operadora - e para seu benefício próprio -, não perca tempo! Mantenha as informações sempre atualizados e proteja o seu plano de saúde!


Leia as outras matérias da série “Conheça seu plano”.
Conheça seu plano: Saiba em que condições pode ocorrer o Tratamento Fora Domicilio (TFD)

Conheça seu plano – Prazos para atendimento de serviços de saúde são regulamentados pela ANS

Conheça seu plano: Atendimento odontológico

Conheça seu plano: Postal Saúde divulga cartilha sobre Reembolso

Conheça seu plano: Canais de atendimento da Postal Saúde

Conheça seu plano: Como calcular sua mensalidade

Conheça seu plano: Inclusão e Carências do plano CorreiosSaúde II

Conheça seu plano: Internações não têm coparticipação no CorreiosSaúde II

Conheça o seu plano: A Postal Saúde está de braços abertos para acolher o beneficiário!


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: Stock Photos

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9