17/09/2020 - 17:12 - Atualizado em 01/10/2020 - 10:36

Notícias sobre a Covid-19: não caia em fake news

Dando continuidade ao projeto de conscientização do público em relação às notícias sobre a pandemia, o Comitê Estratégico de Comunicação (COMEC) destacou mais uma série de notícias falsas que têm se espalhado nas redes sociais pelo Brasil.

O objetivo desta ação é fazer, com base em dados científicos e números oficiais, com que os cuidados continuem sendo tomados e não haja um relaxamento por parte da população.


Não é verdade que três jovens tenham morrido após serem vacinados com a CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech e testada em São Paulo, conforme sugerem publicações nas redes sociais. Segundo o Instituto Butantã, parceiro dos testes, não foi relatado nenhum óbito ou mesmo reações adversas graves após as aplicações da vacina.

Além disso, todos os voluntários da CoronaVac em São Paulo são maiores de 18 anos e profissionais da área de saúde, um perfil que não se encaixa nos de adolescentes de 13, 16 e 18 anos, citados nos posts como supostas vítimas da imunização.

Para conferir a investigação completa, acesse: Aos Fatos

Foto: Aos Fatos


Conforme já mencionamos aqui diversas vezes, o uso da máscara de proteção não reduz o nível de oxigenação do organismo. Mais uma publicação enganosa tem sido compartilhada, dessa vez com um homem supostamente medindo o oxigênio entre a máscara e o rosto com uma mangueira. Essa publicação havia sido compartilhada mais de 70 mil vezes na data da apuração.

A Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e do Exercício (SBMEE) esclareceu novamente que não há fundamento nas afirmações que tentam desqualificar o uso das máscaras. Apesar de serem uma barreira relativa para a respiração, elas são incapazes de impedir as trocas gasosas.

“Em resumo, a máscara pode trazer certo desconforto respiratório e relativa perda de rendimento (...), mas não coloca em risco a saúde do usuário que deseja praticar exercícios físicos”

Para conferir a investigação completa, acesse: Aos Fatos

Foto: Aos Fatos


É mentira a afirmação que melancias estão vindo contaminadas com o novo coronavírus da China. Além dessa informação claramente falsa, um áudio bastante compartilhado em redes sociais diz ainda que políticos que não concordaram com o recebimento de melancias contaminadas saíram do governo.

A investigação da Agência Lupa esclarece que vírus só é transmitido entre pessoas e não sobrevive mais de 24 horas fora do organismo humano ou de algum animal. Além disso, o tempo de tráfego desses produtos costuma ser de muitos dias.

Foto: Pete-Linforth



O conteúdo que o Comitê Estratégico de Comunicação (COMEC) passou a publicar periodicamente é baseado em estudos de instituições de ensino reconhecidas internacionalmente, agências checagem de fatos (registradas pelo International Fact-Checking Network) e veículos tradicionais de imprensa que apresentem as fontes das informações transmitidas.

Além dos valores da Postal Saúde (qualidade de serviços; compromisso e respeito com os Beneficiários; ética e transparência nos negócios e responsabilidade pelos resultados), também existem os princípios jornalísticos e o compromisso com a verdade, valorizando as fontes oficiais e orientando a população da melhor forma para o exercício da sua cidadania.