13/09/2019 - 14:37 - Atualizado em 16/09/2019 - 08:23

Comunicado à Rede Credenciada – Prorrogado até 2 de outubro atendimento de pais e mães no plano de saúde

Ficam mantidas as mesmas condições vigentes em agosto. É importante que os prestadores verifiquem as condições de elegibilidade do beneficiário no ato do atendimento


Informamos que segundo decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), na audiência de conciliação realizada na quinta-feira (12), em virtude das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados dos Correios, os atendimentos de pais e mães dos titulares do plano CorreiosSaúde poderão ser realizados unicamente em regime de urgência e emergência até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo pelo colegiado do TST.

A data-limite vale também para a exceção à regra: os atendimentos de pais e mães dependentes que se encontram internados, inclusive em home care, como também os beneficiários em tratamentos continuados, a saber: hemodiálise, diálise peritoneal, terapia imunobiológica, quimioterapia, radioterapia, quimioterápicos orais e terapias domiciliares. Todos esses atendimentos também serão realizados até o dia 2 de outubro. A partir dessa data, serão repassadas novas orientações.

Portanto, solicitamos aos prestadores que, no ato do atendimento, verifiquem as condições de elegibilidade do beneficiário, conforme estabelece o Manual do Credenciado da Operadora.

Esclarecemos que as consultas e outros procedimentos eletivos (sem caráter de urgência e emergência) para os dependentes pais e mães do CorreiosSaúde estão vedados e, uma vez realizados, poderão ser glosados pela Operadora.

Aproveitamos para informar que os atendimentos dos demais beneficiários seguem normalmente.

Em caso de dúvidas, o prestador deve entrar em contato com a Central de Autorização pelo 0800 881 8080 (disponível 24 horas por dia, nos 7 dias semana).


Leia também: Primeira Hora dos Correios - Nota veiculada em 12 de setembro de 2019 sobre prorrogação do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019


Por: Comunicação/Postal Saúde