página principal > Dicas da Postal Saúde

Ministério da Saúde distribui vacinas contra Mpox . Saiba quem faz parte do público prioritário

Imunização será direcionada para pessoas com maior risco de evolução para casos graves que se encaixam em critérios já estabelecidos

16 de março de 2023 - Atualizado em 16 de março de 2023

A vacinação contra monkeypox (Mpox) será direcionada para o público prioritário formado por pessoas com maior risco de evolução para casos graves que se encaixam em critérios já estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Para contemplar esse grupo, a pasta está distribuindo 47 mil doses da vacina para todos os estados e Distrito Federal. O envio será feito de acordo com o quantitativo de pessoas, a capacidade de armazenamento e o andamento da imunização em cada local. A previsão é que a distribuição da primeira remessa seja concluída nesta quarta-feira (15).

Entre o público elegível para a vacinação, estão as pessoas que vivem com HIV/Aids com status imunológico identificado pela contagem de linfócitos T CD4 inferior a 200 células nos últimos seis meses e profissionais que atuam diretamente em contato com o vírus em laboratórios (pré-exposição).

Além desses grupos, também está prevista a vacinação para pessoas que tiveram contato direto com os fluidos e secreções corporais de casos suspeitos ou confirmados para a doença (pós-exposição).

Cenário epidemiológico atual  

O atual cenário epidemiológico da Mpox apresenta queda progressiva no número de casos em todo o mundo, incluindo no Brasil. A principal estratégia de contenção da doença é a identificação de casos e rastreamento de contatos. Portanto, neste momento, a estratégia de vacinação irá priorizar a proteção das pessoas com maior risco de evolução para as formas graves da doença. Essa definição foi feita em conjunto com representantes dos conselhos municipais e estaduais, diante da avaliação técnica e científica de especialistas.

Para a vacinação pré-exposição, é recomendado respeitar um intervalo de 30 dias entre qualquer vacina previamente administrada. Em situação de pós-exposição, cujo principal objetivo é bloqueio da transmissão, a recomendação é que a aplicação seja realizada independentemente da administração prévia de qualquer imunobiológico.

Escolha do novo nome da doença

Após consultas com especialistas globais, a Organização Mundial da Saúde (OMS) adotou  o novo termo “Mpox”  como sinônimo de varíola dos macacos (monkeypox). A Organização incentiva que os países façam o mesmo.

Saiba mais: OMS recomenda novo nome para varíola dos macacos


Fontes: Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde

Foto: Banco de Imgens 123rf