página principal > Postal Saúde paga dívida com rede credenciada e inaugura nova fase em sua história  

Postal Saúde paga dívida com rede credenciada e inaugura nova fase em sua história  

 Postal Saúde completou 8 anos no dia 30 de abril  comemorando uma importante conquista para a recuperação do seu equilíbrio econômico-financeiro: o pagamento da dívida de R$ 579,12 milhões com os prestadores da rede credenciada, zerando um passivo que se arrastava ao longo dos últimos anos.

O pagamento da dívida afasta a Postal Saúde de uma possível direção fiscal pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e demonstra a gestão prudente dos recursos administrados pela Operadora, objetivando o equilíbrio das contas e a continuidade dos serviços prestados aos beneficiários.

A informação – que indica uma guinada no histórico financeiro da Operadora e nas negociações com a rede credenciada – foi enviada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, em atendimento ao Termo de Assunção de Obrigações Econômico-Financeira (TAOEF).

Esse Termo é um instrumento utilizado pela Agência Reguladora com o intuito de mitigar o risco de insolvência das operadoras de planos de saúde e garantir que elas honrem os compromissos assumidos e assegurem solidez patrimonial para dar continuidade às atividades no futuro.

Após avaliação da situação e das informações encaminhadas, a ANS constatou “‘a inexistência de desconformidades contábeis relevantes e de anormalidades econômico-financeiras que venham colocar em risco a qualidade e a continuidade da assistência à saúde dos beneficiários; razão pela qual se decidiu pelo encerramento do Termo pactuado e pelo arquivamento do processo administrativo”.

A gerente de Estratégia Organizacional da Postal Saúde, Karina Cristina Hoffmann, explica os impactos positivos dessa conquista para o beneficiário: “Além de afastar a possibilidade de uma direção fiscal a curto prazo na Postal Saúde, o cumprimento do TAOEF corrobora para a melhoria da situação financeira da Operadora, além de ser uma demonstração do aprimoramento dos nossos processos”.

Nova fase: mais tranquilidade para os beneficiários    

Segundo a gestora, com o passivo zerado a Postal Saúde inaugura uma nova fase na Operadora, trazendo mais tranquilidade para os beneficiários na hora de solicitar um atendimento médico-hospitalar ou odontológico.

“Ao usar os serviços da rede credenciada, os beneficiários perceberão um menor número de prestadores com os atendimentos suspensos em virtude de atrasos nos pagamentos. Isso aumenta o sentimento de segurança de que a Postal Saúde tem envidado esforços para garantir a sustentabilidade do plano”, reforça a gerente.

Entenda como a dívida foi zerada    

O Termo de Assunção de Obrigações Econômico-Financeiras (TAOEF) foi assinado pela Postal Saúde em fevereiro de 2019, quando o passivo com os prestadores credenciados chegava a R$ 472,46 milhões. No final de 2019, esse saldo alcançou o maior valor na história da Operadora, saltando para R$ 579,12 milhões a pagar aos prestadores de saúde. Esse acréscimo deveu-se ao aumento nas despesas assistenciais no exercício.

A Mantenedora (os Correios) assumiu o repasse de recursos extraordinários para a quitação total do passivo. Diante do recebimento desses valores, a Postal Saúde estabeleceu um cronograma de pagamento dos valores pendentes.

Alteração no modelo de repasse dos recursos pela Mantenedora    

Para o cumprimento do Termo, foi necessário alterar o processo de repasse dos recursos dos Correios para a Postal Saúde. Assim, desde meados de 2020, os valores assistenciais deixaram de ser fixos e passaram a ser alinhados às estimativas de despesas do mês anterior.

Neste ano de 2021, a medida contemplará também a cobertura das despesas administrativas. “Nesse novo formato, a Operadora passa a ter recursos suficientes para quitação de suas dívidas correntes”, celebra a gerente de Controle Financeiro, Carolina Almeida Camilo Cruz da Silva.

Planejamento Estratégico 2021-2023: foco na sustentabilidade   

Para arcar com suas obrigações financeiras e manter o saldo das contas no positivo, a Postal Saúde incluiu no Planejamento Estratégico 2021-2023 vários projetos e ações para reduzir os custos assistenciais e administrativos, como:  implementação de novas formas de remuneração da rede credenciada; lançamento da estratégia Saúde & Família, com foco na Atenção Primária à Saúde; renegociação dos contratos administrativos existentes, entre outros.

O que o beneficiário pode esperar da Postal Saúde daqui pra frente?   

Quem responde é o diretor Administrativo e Financeiro da Postal SaúdeReinaldo Soares Camargo. “Diante das diretrizes dessa nova gestão, das melhorias nos processos da Operadora e da quitação da maior parte do passivo, os beneficiários podem esperar uma rede mais adequada, com custos acessíveis e maior qualidade nos serviços prestados”, destaca o diretor.

Para o diretor-presidente da Postal SaúdeJosé Orlando Ribeiro Cardoso, o equilíbrio-financeiro da entidade é mais uma entre tantas outras conquistas com o objetivo de garantir o futuro da Postal Saúde.

“Estamos trabalhando para que a Operadora siga prestando assistência à saúde aos beneficiários e suas famílias por muito tempo, ao longo de suas vidas. Essa é a missão da Operadora e nós, como gestores, atuamos para garantir sua sustentabilidade”, finalizou o dirigente.


Por: Comunicação/Postal Saúde