página principal > Dicas da Postal Saúde

Como saber se sua saúde mental vai bem?

Alguns sinais do corpo são capazes de indicar quando a saúde mental precisa de ajuda. Confira

27 de janeiro de 2022 - Atualizado em 3 de fevereiro de 2022

Muitas vezes negligenciada, a saúde mental precisa de constante atenção, já que o descuido dela, mesmo quando a vida parece bem, pode levar a grandes dificuldades para enfrentar situações adversas que fazem parte do dia a dia.

Entre os fatores capazes de influenciar negativamente o estado emocional das pessoas, estão doenças crônicas, transmissíveis e outros problemas de saúde, além de conflitos familiares, violências, perdas financeiras, desastres socioambientais e emergências de saúde pública.

A pandemia de covid-19, por exemplo, tem produzido impactos significativos na saúde mental e no bem-estar psicossocial da população. Segundo um documento publicado pela revista The Lancet, com a chegada do vírus ao país, mais de quatro em cada 10 brasileiros tiveram problemas de ansiedade.

Sinais de alerta

Alguns sinais do corpo são capazes de indicar quando a saúde mental não anda bem. Por isso, é importante estar sempre de olho em alterações de humor, comportamento, sono e apetite, prestando atenção principalmente a sentimentos de angústia, isolamento social, falta de energia e de vontade de viver.

Ao notar esses sintomas em si, o recomendado é procurar a ajuda de pessoas de confiança e investir na prática de atividades que promovam o bem-estar. No entanto, caso o sofrimento seja intenso, com prejuízos ao trabalho, às relações sociais e à realização de tarefas diárias, o ideal é procurar auxílio profissional.

Quando quem está passando por um momento difícil é um amigo, um familiar ou qualquer outra pessoa próxima, os especialistas indicam demonstrar cuidado, oferecer apoio e se colocar à disposição para conversar.

Importância do diálogo

Muitos sentem medo ou vergonha de falar sobre saúde mental devido ao estigma associado à tristeza e aos problemas mentais, o que pode resultar em ainda mais sofrimento.

Por isso, é fundamental dialogar sobre o tema para conscientizar todos da sua seriedade e divulgar informações não só sobre tratamento, mas também sobre prevenção – que pode ser feita por meio da manutenção de vínculos afetivos, de uma alimentação balanceada, e da prática de atividades físicas e prazerosas. Lembre-se: este assunto não pode mais ficar em segundo plano. (Por Mayumi Yamasaki)


Fonte: Site Minha Vida
Foto: Dreamstime